Fale com a paróquia: (14) 3372-1258 paroquia.nsfatima@hotmail.com
siga a paróquia nas redes sociais:
Área Restrista
logo Santuário Ns de Fátima

Breve Histórico

A ordem dominicana está celebrando o jubileu de seus 800 anos De fundação por São Domingos de Gusmão (1216-2016). 
Dentro desse jubileu dos dominicanos está celebrando, neste ano, os 80 anos sua presença e atuação em santa cruz do rio pardo (1936-2016).
Tudo começou na cidade de Bologna, Norte da Itália, no mês de abril de 1936. Dom Carlos Duarte Costa, então Bispo de Botucatu, estava de passagem nessa cidade. Visitando a Basílica de San Domenico, convidou os dominicanos italianos para uma fundação missionária em Ourinhos na sua Diocese. 
O convite foi aceito graças a mediação do Cardeal Arcebispo de Bologna, Nasalli Rocca, e do Idealista e arrojado dominicano, Frei Domingos Acerbi, nascido em Veneza. 
Interessante notar que, por razões que estão nos bastidores da história, a Fundação acabou sendo em Santa Cruz do Rio Pardo e não em Ourinhos.

Santa Cruz do Rio Pardo, então “Joia da Sorocabana”, 10 de setembro de 1936. 
Nessa data aqui chegaram os primeiros quatro frades dominicanos italianos, cheios de ardor missionário: Os sacerdotes Frei Domingos Acerbi e Frei Miguel Lanzani e os irmão cooperadores, Frei Guala Ferrari e Frei Simão Dorvi. 
Tamos a comovente palavras de Frei Domingos De de uma multidão de santa-cruzense que calorosamente os acolhia: “Nós nós apresentamos a vos, povo de Santa Cruz, em nome do Senhor por cuja vontade deixamos nossa pátria e nossas famílias”

E vão residir numa pequena casa alugada na praça Treze de Maio, n. 147, ao lado da pequena capela de São Benedito.
Com bom humor, Frei Miguel deixou escritas esta palavras; “Lá chegando, Vamos visitar nossa Catedral (a capela). Tomamos posse do nosso palácio (a casa alugada) e fomos dormir”! 
No dia 21 de janeiro de 1937 Frei Miguel Lazani tomou posse como 17º vigário da Paróquia São Sebastião (canonicamente erigia em 1873) e que contava com numerosas capelas na zona rural. A ele sucederão, na condução da Paróquia, 12 sacerdotes dominicanos. 
O ideal que atravessou os mares, tornou-se a história dos 80 anos dos dominicanos em santa cruz. Uma história tecida de fé de sonhos , de doações e sacrifícios, de vitórias e revezes, de semeaduras e colheitas.
Obviamente, o objetivo primordial dos dominicanos em Santa Cruz foi a evangelização, no serviço ao povo de Deus, em todo município.
Não terá sido fruto dessa evangelização esse nosso povo de santa-cruzense tão profundamente religioso, eucarístico e mariano?
Por justiça, citamos algumas horas materiais dos dominicanos: a Escola Apostólica Dominicana (de onde brotaram numerosas vocações sacerdotais), a nova Matriz São Sebastião, uma Casa Paróquial, uma Gráfica, um Centro de Pastoral, o Santuário Nossa Senhora do Rosário de Fátima (hoje paróquia homônima), Centro Social São José e a Casa de Apoio ao Menor Carente “Adélia Aloé”. 
E foi a convite dos dominicanos de Santa Cruz que as irmãs dominicanas da Beata Imelda vieram da Itália para o Brasil em dezembro de 1946.